sexta-feira, 30 de maio de 2008

Politik Kills - Manu Chao

A política mata

A política precisa de votos
A política precisa da sua mente
A política precisa de seres humanos
A política precisa de mentiras

Porque tudo isso meu amigo, é uma evidência: A política é violência

A política mata

A política usa drogas
A política usa bombas
A política precisa de minas
A política precisa de sangue

Porque tudo isso meu amigo, é uma evidência: A política é violência

A política precisa de força
A política precisa de gritos
A política precisa de ignorância
A política precisa de mentiras

A política mata

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Do you wanna revolution? Stand up and make it now!

Não sei porque, mas ao ler a letra desta música hoje, lembrei do post da Ligia e resolvi postar em sua homenagem!

Tão Iguais - Dead Fish

Eu grito pelo meu país que finge, os absurdos tão normais onde estou.
Eu desejei o teu lugar, quis agir da mesma forma
Aqui todos são iguais!

Impunidade usada pra vencer, comprada com seus votos e sua omissão
Legislar ou pedir pão, não seja tão honesto ou irá morrer!
Se resignar e aceitar, se eles são apenas dez?
Não terá o seu quinhão tão sujo quanto o deles

Normalidade!
Senso Comum!

(Me lembro com se fosse ontem, do meu pai me falando para eu estudar pra ser alguem na vida. E disse coisas sobre o caso aracelli e ana angélica, dizia que não ia dar em nada, lembro dos seus discursos sobre honestidade, de como deverímamos ser e agir)

Eu desejei este lugar, quis agir da mesma forma
Aceitar os mais iguais!
Eu desejei o meu lugar, vou agir da minha forma
Quero coisas mais reais!

Tente conceber!
Tente vislumbrar!
Que é tão igual quanto os que odeia!
Tudo isso vai mudar?
(Tempos depois o meu velho se foi e eu descobri que saber não bastava...)
(...Precisava ser alguém e ter um nome, um brilho ou um padrinho, não abri mão do que aprendi para ser o que eles desejavam que eu fosse, por isso prometi fazer alguma coisa, por todos que sejam honestos, por mim, por lamado, minha avó, meus amores, amigos, irmãos e por todos que sofrem neste estado do Espírito Santo)

terça-feira, 20 de maio de 2008

Could You Be Loved? (que lição de vida, hein?)


Você poderia amar e ser amado?

Não deixe eles te fazerem de bobo

Ou mesmo tentar escolarizar você

Oh, não !

Você tem a sua própria mente

Então vá para o inferno se o que você está pensando não é certo

O amor nunca nos deixaria sozinhos

Na escuridão deverá aparecer a luz

A estrada da vida é rochosa

E você pode tropeçar também

Então enquanto você aponta seu dedo

Outro alguém está te julgando

Não deixe mudarem você

Ou mesmo rearranjá-lo

Oh, não !

Você tem uma vida pra viver

Eles dizem somente, somente,

Que somente o mais ajustado dos mais ajustados deve viver,

Permanecer vivo.

Você não vai perder sua água,

Até que você fique seco.

Não importa como você o trata,

O homem nunca ficará satisfeito.

Você poderia se amar e ser amado ?

Diga alguma coisa...

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Digno de uma sexta-feira!


Nunca tinha visto esta imagem, a surpresa foi tanta que resolvi postar, sem mais nenhum comentário!


terça-feira, 13 de maio de 2008

Eu e o Meu Mundo Chamado Eu!

Galera,

Este será o próximo artigo do Jornal Chega São Paulo! É apenas uma viagem, não se apeguem aos detalhes, hehe.

Eu e o Meu Mundo Chamado Eu – Rodrigo “raTo” Seixas

Blog: www.vermelhoanarco.blogspot.com
e-mail: rodrigoseixas@chegasaopaulo.com


De repente aquele mundo de ilusões desaparece à sua frente, aquele desespero prensando o seu peito já é algo rotineiro.

Você busca informações, você busca soluções, porém tudo o que te dão são apenas “opiniões”. Mas uma vez já me disseram que “opiniões” são diferentes de conselhos, são palpites melhorados. Não devo acatar algo de quem não sabe nem o que está oferecendo.

Não folheio mais jornais, todo aquele sensacionalismo me enoja. Especulam vida de famosos para colocar na primeira página, enquanto um menor delinqüente quebra o vidro do seu carro para te roubar. Mas você se nega a isto. Fica com medo, coloca culpa no semáforo que demorou a abrir, porque não quer enxergar a sujeira na ponta do seu nariz. O que você quer é apenas sorrir, debaixo de um teto sem segurança que vai te engolir. E depois que te cuspir você ficará sem saber como agir, chegando até a regredir.

Não queira saber o que é ver alguém por um prato de comida pedir. Sei que muitos como eu, se negam a dar, porém, num mundo de espertos, de gente que vende terrenos em Marte, em qual mentira devo acreditar?

De frente para a TV eu só ouço bosta, não sei mais o que ver, eu não quero mais te ouvir. O seu carisma popular é em grande escala, mas me ofendo só de ter que olhar para a sua cara. Um povo besta dando lances para um jogo de programa de TV, sonhando em que assim uma BMW vai ter.

Conquistar com trabalho? Demora demais, por que sonhar tão alto se sentado na poltrona eu já consigo engordar? Você engorda com o olho, filho da puta!

Eu quero algo novo, algo diferente, algo que poderemos discutir com toda a nossa gente. Longe de um mundo perfeito eu sei onde estou, caminhando para mais um carnaval em Salvador. Da Bahia eu não tenho nada contra, muito menos com sua gente, o problema é o brasileiro que ainda é muito crente. É crente por sempre acreditar em alguém que nada pode lhe dar, e em mais um futuro agradecer, sem mesmo ter o que comer.

Não estou aqui para causar a discórdia, longe disso, nunca foi minha paródia. Quero apenas viver em paz e perto daqueles que comigo querem estar, para apenas mais uma cerveja brindar, numa sexta-feira em qualquer porta de bar.

Este é meu mundo, o mundo de Rodrigo. Falo bosta pra caralho, mas não guardo comigo. E assim vou vivendo, tentando conquistar um espaço neste mundo, só que ninguém quer me dar.

Mas não tem problema, graças a Deus, Ele me deu imaginação, no paralelismo eu vou caminhando sem direção, pois aqui ninguém vai dizer que estou na contramão.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Reflexão!

Queria que quem entrasse neste blog durante o final de semana, fizesse a seguinte lição de casa:

Analisem e façam uma reflexão sobre a letra de música abaixo. Ela é a típica música que a maioria dos brasileiros ouvem, ou pior ainda, é o tipo de gente que costuma-se bancar para gravar um CD, ou pior ainda, é o que as emissoras de TV colocam em programas para salvar a audiência.

Fica a pergunta no ar: Para onde estamos rumando? E a menoria que tem cérebro? E quem gosta de uma boa música? O que é "boa música"? Será que pagodeiros, funkeiros, maloqueiros, e todos os derivados estão certos e nós que somos os errados?

enfim... Reflitam sobre abaixo:

Vagalume - Latino

Tô chegando...Invadindo...
Vagalume é o meu instinto
A balada é minha casa
Fazer love é meu emprego
Minhas noitadas não me pedem arrego
Carente amigo?Não durmo sozinho
Sou vagalume sem rumo e sem destino
Sou um cão atirado sem dono
Que gosta de zuar
Quando eu vejo uma ninhada na pista
O churros quero dar
Sou torto, tarado, maluco
Um estilo predador
Quando eu tô com birita na idéia
Até choro por amor
Ô DJ aumenta o som
Que eu quero bagunçar
Aumenta a entonação
Que a night é de azarar
Tô mirando uma boca
Só no sapatinho
Minha metralhadora
É só de idéia e carinho

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Proteja-se e Lute!

Proteja-se e lute!
Proteja-se e lute!

Eu quero poder andar
Ser feliz e estar contigo
E se livre pra pensar
Decidir que a mente fique
Ou vá, ou vá, ou vá...

Não deixe que o ódio escravize as nossas crianças
Que a hipocrisia não tenha valor, assim estaremos vivos
Pare e reflita no ouve e sente
Nunca aceite sem pensar
Todo pensamento bom tem seu valor
O valor de ser livre

Proteja-se e lute!
Proteja-se e lute!

Natiruts

terça-feira, 6 de maio de 2008

Déjà vu

E a noite estava linda. Mas era diferente, parecia que ela tinha cheiro. A lua e as estrelas estavam em uma posição junto aos morros e montanhas, que nos convidavam para uma viagem da mente. Uma viagem que ao mesmo tempo fui ao passado, bem como me imaginei no futuro.
De imediato me imaginei há alguns meses atrás fazendo o mesmo trajeto, realizando parte de um sonho, vivendo uma vida. E a noite continuava linda... Me fez literalmente retornar ao passado, lembrar de detalhes que estavam guardados, talvez em lugares secretos, com receios, medos ou até mesmo uma manifestação involuntária.
O cheiro daquela noite eu senti novamente, me fez acreditar em coisas que jamais pensei acreditar novamente.

Será que em algum momento eu falarei a você: Déjà vu!