segunda-feira, 23 de junho de 2008

será que sou quem vc acha que sou? estranho, né?


Obs.: terminei o 1º semestre com 10 em tudo, estranho isso pra vc?

Quem me acompanha sabe que desde 2006 estou para fazer uma pós-graduação, mas ainda não havia feito. Poderia citar os inúmeros motivos que me levaram a não fazer anteriormente, mas não seria este o propósito e a escrita ficaria longa demais.

O fato é que demorei um pouco para crescer, sem aquela piadinha medíocre de que ainda sou pequeno, demorei demais para tomar vergonha na cara, demorei demais para saber que o RATO que era brincalhão também poderia ser o RATO que queria dar certo na vida. Porque sonho de dar certo na vida todo mundo tem, mas enquanto você só sonha, você não realiza.

Nunca quis abandonar a minha principal característica: a zoeira! Eu nunca falei baixo, sempre falei palavrão, nunca soube estudar pra prova, sempre fui mal educado, nunca respeitei leis, sempre xinguei os outros e só ia bem na escola quando colava. Ou seja, um moleque normal quando desde pequeno enxergava algumas coisas de modo diferente e já tinha muitas perguntas na cabeça montadas esperando apenas a hora para perguntá-las.

O que eu nunca soube e nunca me ensinaram, é que eu não precisaria deixar de ser quem eu era para me tornar alguém, para os outros confiarem em mim, para ter respeito, e o principal de todos: nunca decepcionar Meus Pais. Pois sempre tive a ciência de que sempre fui uma decepção, visto que sou o único da família que repetiu dois anos na escola, reclamações chagavam como simples recados, advertências e suspensões já faziam parte da rotina estudantil, e na vizinhança sempre fui visto como “o filho da puta que bate nos outros e ainda xinga os mais velhos”. Para um pai e uma mãe nascidos na década de 30, isto era coisa do demônio, do outro mundo, enfim... eu era um moleque do caralho! Eu mesmo não sabia o que seria de mim com os estudos.

O tempo passou, eu cresci, se desvinculei de tudo o que me disseram sobre certo e errado, apenas lembro dos conselhos que me deram, pois sempre busquei as minhas verdades, conquistei o meu espaço com aquela personalidade antiga de moleque, mas com a sabedoria de um guerreiro e com a vontade de sempre querer mais! Com estes 1,62 metros de altura fui além do que eu mesmo imaginava, mas quando me dei conta não estava nem na metade do caminho de onde pretendo chegar.

Com 29 anos consegui graças a Deus a oportunidade de realizar um dos poucos sonhos que guardo comigo: Pós-Graduação no Mackenzie. Confesso que poderia ter uns sonhos melhores, como por exemplo ser rico, mas como verdade que busquei em mim, vejo que com estudo e cultura posso chegar mais longe que isto. Legal, né?

Com 29 anos também descobri mais uma coisa, que não adianta você achar que é o correto em tudo, pois com certeza o que é certo para mim, absolutamente será errado para você. E para viver em sociedade, tanto você como eu, devemos aceitar as adversidades. Então não me julgue como você está acostumado a fazer, pois esta pessoa aqui que você julga ser tão errado, acaba de encerrar o semestre com 10 em todas as matérias. Será que não há algo de errado nisso? Será que tudo que estou sendo tachado condiz com o que realmente sou?

Há algo de podre no reino da Dinamarca!

sexta-feira, 13 de junho de 2008

a poesia sem nome!

Rodrigo "raTo" Seixas - 13/06/08

Quando um pássaro pára de bater asas é porque ele já não quer mais voar
Ao invés de sofrer e se lamentar, ele quer apenas em seus sonhos viajar
Não queira entender aquele sentimento, que dentro de você pode se perder
Porque um dia ao acordar, ao invés de olhar o sol, pode ser o anoitecer

Perplexo, porém com perspicácia um dia ele vai acertar
Aquele alvo tão difícil de achar, que de uma forma ou de outra, acaba por errar
Quem poderá, pela cor dos teus olhos, algum dia te julgar?
Pois se um dia até o mais sábios entre os sábios não soube pensar

Cada pássaro tem seu bando, e juntos eles só querem cantar
Cânticos de um poeta sonhador que mesmo chorando, insiste em acreditar
Em cada palavra que lhe foi dita em meio aquele vendaval
Lá do alto tudo parecia um caos, mas para eles estava normal

Pensamentos martelam em sua cabeça, como se fossem flores
Pois sozinho numa ilha ele está, mas tem também os seus amores
Cada lágrima que escorre por seu rosto, é um pensamento que não foi em vão
E todas elas juntas somam tudo o que há dentro do seu coração

terça-feira, 10 de junho de 2008

s.u.p.e.r.a.ç.ã.o

Era sexta-feira... misturou-se aquela euforia de curtir a sexta como acho que sempre devemos curtir, com o stress de um ensaio de última hora. Nunca fui um bom músico, sempre tive as minhas limitações, e quando me perguntam se toco bem guitarra, a primeira e única resposta que vem à minha cabeça é sempre a mesma: não toco porra nenhuma e engano quem não sabe tocar. Cantar? Pior ainda! Apenas coloco pra fora a energia acumulada que habita meu peito, esperando a hora certa de ganhar a LIBERDADE!

Sábado teve mais um show do WHISKYMÓ, minha banda de longa data, só que um longo tempo sem ensaio pra mim sempre é foda, pois com mil pensamentos na cabeça sempre esqueço muita música e acabo passando uma insegurança para os demais. E na sexta não foi diferente, já que durante o ensaio eu errei pra caralho! Mas um role depois para aliviar a cabeça, conversa com os amigos, Vitché tocando no Submarino Amarelo, fez com que eu segurasse a bronca para o dia seguinte.

No sábado não foi diferente, a Grande Máfia sempre presente nos shows, Carol e Mayara vindo do Guarujá para curtir com a gente, cada um fazendo a sua correria para sempre dar uma força, para sempre fazermos um show de energia. Gente cansada que acordou apenas para ir ao show como o Gordão, por exemplo. Gente como o Alê, Renato e Felipe que não agüentam mais ouvir nossas músicas, novamente o Vitché tocando Killing in the Name para fechar o show. Teve gente até que chegou perto do final do show, mas marcaram presença, como a Ligia e a Marilia. Poderia enumerar todos os que compareceram neste dia, mas como sempre agradeço um a um, pois como rotina mafiosa, sempre nos encontramos na esquina após qualquer evento e dia de show isto é obrigação, pois é onde todos nós nos encontramos de verdade!

São atitudes como estas que fazem a gente ter vontade de continuar, de marcar mais e mais shows, de saber que sempre será a mesma correria e incertezas, contando com a presença de todos vocês como sempre, pois sem vocês não haveria show, não haveria barulho e não haveria um grito final: VALEU!

segunda-feira, 9 de junho de 2008

bem melhor morto!

Bad Religion

me desculpe pelo sol, como eu poderia saber que você iria se queimar?
e... me desculpe pela lua, como eu poderia saber que você iria desaprovar?

eu nunca mais vou cometer o mesmo erro, a próxima vez que eu criar o universo eu vou me assegurar que nós nos comuniquemos no percurso, oh yeah!

mas até lá, bem melhor morto um sorriso nos lábios e um buraco na cabeça
bem melhor morto, sim melhor que isso
tire isto porque não há nada a perder

me desculpe pelo mundo, como eu poderia saber que você levaria isso tal à mal?
e... eu nunca mais vou cometer o mesmo erro, então se você está procurando por um bode espiatório porque não tenta a raça humana inteira?

só pra brincar com segurança mas até lá, bem melhor morto um sorriso nos lábios e um buraco na cabeça
bem melhor morto, sim melhor que isso
tire isto porque não há nada a perder
bem melhor morto, sim bem melhor morto por que em vez disso você não tenta despetalar margaridas?
bem melhor morto, sim bem melhor morto um sorriso nos lábios e um buraco na cabeça

eu nunca mais vou cometer o mesmo erro, a próxima vez que eu criar o universo eu vou me assegurar que você participe, oh yeah!
tome cuidado
eu nunca mais vou cometer o mesmo erro, a próxima vez que eu criar o universo eu vou me assegurar que você participe por via das dúvidas

terça-feira, 3 de junho de 2008

ESTADO: f.e.l.i.z.

Feliz!
Feliz por entender!
Feliz por ser entendido!

Quem congela no tempo corre o risco de permanecer estagnado. Almas NÃO congelam!
O quanto evoluirmos em um espaço de tempo, apenas benefícios nos trarão como recompensa.
Se a vida é realmente tão bela, então não deixe que tudo fuja pela janela.
Como estamos aqui de passagem, mas não estamos a passeio, mudemos nossos pensamentos a cada hora!

Já dizia meu velho amigo Bob, onde dizem que o sol brilha pra todos, mas se você não buscar algo, ele não brilhará pra você.

Me veio na cabeça agora um som típico da época: DRIVE - INCUBUS