quarta-feira, 30 de julho de 2008

esperando pelas 20:00 hs


Ela bate com uma força violenta, quando menos espero já estou entorpecido, fico pensando, vagando num mundo de passado, presente e futuro. Estou falando da nostalgia!

Velhos tempos, novos tempos e um futuro pela frente. Acreditando na corrente, mas sempre remando contra a maré. Na mesma direção do vento, mas sempre tirando o cisco dos olhos. O mesmo acorde de guitarra ainda martela em minha cabeça, aquele refrão que gruda e te faz sonhar.

Sozinho na estrada ou até mesmo andando na rua, perdido no tempo, mas nunca atrasado para um compromisso. Sempre chego cedo para ir embora cedo, mas as vezes quero ficar até tarde, não tenho pressa.

Em cima do palco eu consigo gritar, e depois de algumas músicas eu não quero mais parar. De pequeno tinha medo, mas muita coragem pra tentar, que junto com três notas, fez a minha vida mudar.

Asa vezes perco a cabeça
Ao ponto de não agüentar
Os dedos coçam que não consigo parar
Desando a escrever, o que as vezes nem eu consigo entender

Leio e releio tudo que está escrito, fico imaginando se nada disso não tivesse registro. De onde tudo vem? Pra onde tudo vai?

4 comentários:

Daniel disse...

Isso se chama IMAGINAÇÃO. Ninguem sabe de onde vem e ninguem sabe onde vai parar, mas ela existe e é o nosso bem mais precioso. pode ter certeza disso.

Mayara Hopp disse...

saudades!

Marília PSH disse...

vai pro mundo inteiro ler e pensar...
vem de sua cabeça q num para e constantemente faz a gente pensar mais ainda lendo um texto desses.

saudades!

AnitA disse...

Gostei muito!!!