quarta-feira, 19 de novembro de 2008

o combatente cego da espada com lâmina afiada

A espada passa cortando, não deixa de pé sequer um indivíduo
Passamos noites em claro, com medo de dormir sozinhos
A espada se arma e começa cortando, fazendo de tudo para parecer um engano
O seu carro de luxo você não quer perder, mas e o neguinho chorando?

Ah, este aí você não quer nem saber, só lhe interessa seu caviar pra comer
Quanta ingenuidade foi a nossa para em um futuro promissor acreditar
Muito sangue foi derramado em troca apenas de seu nome zelar
E agora, onde vamos parar? Justo quando precisamos de você, com quem devemos contar?

Já me disseram que o capitalismo é tudo a mesma merda
Enquanto muita gente se mata em troco de uma miséria
Você esbanja luxo, carros, grana, casas, em troca de poder
É exatamente igual a você que eu não quero ser, vendo tanta gente sofrer

Eu estou de perto, na linha de frente, posso ser o primeiro mas continuo contente
Hoje estou com o humor abalado, ando pensativo em todo este estrago
A lâmina continua secando, podemos dizer também que ela está descansando
De longe ela começa a olhar, procurando seu alvo para mais uma cabeça cortar

Quem bate sempre esquece e quem apanha vai querer se vingar
E é ao lado deste pensamento que eu não quero estar, quero apenas relaxar
Pouco me importa se você só sabe lucrar, nem assim sua felicidade você vai comprar
Enquanto isso, a lâmina afiada se prepara, te segura pela cabeça para suas pernas cortar!

Rodrigo "raTo" Seixas - 19/11/2008

Um comentário:

Daniel disse...

Cara, adorei isso aqui!
O que vc anda lendo?
Abs