terça-feira, 23 de dezembro de 2008

E hoje foi mágico: Feliz 2009

Há pelo menos duas semanas eu me pego pensando na mesma coisa, sempre que me dou conta de si, estou naquele mesmo assunto, talvez seja reflexo daquilo que estou lendo no momento, sei lá: “Queria encontrar todas as pessoas que já passaram na minha vida, queria ver como todos estão. Aqueles amigos que estudaram comigo no primário. Ou então aqueles que moraram na minha rua tempos atrás.

Poderia ser aqueles também que durante a minha adolescência tiveram algum significado pra mim, e olha que eu demorei à crescer, sempre tive um certo retardadismo. Mas enfim, isto não vem ao caso.

Trabalhei o dia todo, pensando que o dia seguinte era meio expediente, que seria meu último dia de trabalho e depois: Férias. Eu precisava extravasar! Sentado em uma mesa de bar, tomando a minha Brahma para formalizar as férias, o natal e o ano que se inicia, pois foi a abertura das “festas”, hehe, quando o inesperado aconteceu: O verdadeiro encontro!

Lembra das pessoas que conviveram comigo no passado? Pois então, encontrei o Du, que tocou bateria com a gente em 1998, por ai. Fiquei impressionado, pois já estava meio chapado, mas conversamos nostalgicamente, como há tempos, porém como se o tempo não tivesse passado. Retornamos há um tempo que estava esquecido, preso no pensamento que vive para o trabalho.

Enquanto falávamos, me lembrei de uma época boa, como todas as épocas em que vivi, pois aproveitei cada uma delas. Lembramos de aniversários, shows e coisas em comum, foi divertido. Quando voltei para a mesa dos meus camaradas, e fiquei lembrando que meu pensamento de semanas havia se cumprido, que eu havia encontrado pelo menos uma pessoa que conviveu comigo no passado tivesse se tornado real, que veio a segunda surpresa:

“Perique” Caralho, o Perique? Há quanto tempo eu não lembrava deste nome? Quantos momentos que demos risadas e ficou perdido no passado? Nossa, eu nem conseguiria lembrar quantos anos que o conheço, pois só não conheço-o a trinta anos porque sou mais velho, já que o conheço desde que o nasceu.

E foram mais risadas, impressionante. E eu que ainda vagamente lembrava que no dia seguinte trabalharia meio período, continuava rindo, como se anestesiadamente regressaria ao passado. Realmente, o pensamento havia se cumprido, se concretizado.

Finalmente, mais uma vez fiz uma parábola daquilo que penso e acredito, de que naquilo que pensamos positivo e com o coração se concretiza, foi que me tornou realidade: Acredite, pense positivo, tudo se realiza: Feliz 2009, até breve!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

meu distante campo... minha distante colina...


Vivo na metrópole... Mas quando estou no campo tenho devaneios generalizados de como seremos engolidos pelo crescimento. Desde pequeno, quando viajava e enquanto admirava as paisagens, sempre pensava comigo mesmo que quando eu retornasse àquele lugar já haveria casas, pessoas brincando nas ruas e aquele caos de toda metrópole.

Tenho medo deste crescimento! Apesar de mundialmente sermos reconhecidos por ser um país tipicamente agrícola, estamos perdendo nossos campos. O nosso cheiro de terra molhada, o orvalho ao amanhecer está cada vez mais longe da capital, aliás, a capital está se tornando cada vez maior.

Como é gostoso caminhar mata adentro, descobrindo novas formas e espécies, respirar o ar puro que hoje em dia é raro, esquecer da fumaça dos ônibus e caminhões, beber a água pura... Ah como é gostoso ler um bom livro debaixo de uma árvore.

O crescimento desenfreado começa a surtir efeitos. Secas constantes desgastam a vegetação, sol sobre sol, nosso solo seca impedindo que o verde seja vivo. Aquele ar puro já não está mais tão puro, pois o desmatamento desleal é mais rentável, o lucro deixa de ser um assunto desconhecido para os campesinos e passa a ser global.

Hoje eu não sou mais criança e realmente eu tinha razão naqueles ingênuos pensamentos, pois mesmo sem saber o que era uma metrópole eu já sabia que ela tomaria conta de tudo. O progresso é inevitável bem como a inclusão do cidadão. O avanço chega aos pequenos vilarejos de uma forma tímida, porém sagaz.

Sinto que daqui a alguns anos não teremos mais campos, não teremos mais sossego, e infelizmente seremos engolidos por inteiro, por aquilo que já nos engole aos poucos e diariamente.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Mano Chao - Me Gustas Tú

http://www.youtube.com/watch?v=mzgjiPBCsss

me gustan los aviones, me gustas tú
me gusta viajar, me gustas tú
me gusta la mañana, me gustas tú
me gusta el viento, me gustas tú
me gusta soñar, me gustas tú
me gusta la mar, me gustas tú

que voy a hacer - je ne sais pas
que voy a hacer - je ne sais plus
que voy a hacer - je suis perdu
que horas son, mi corazón

me gusta la moto, me gustas tú
me gusta correr, me gustas tú
me gusta la lluvia, me gustas tú
me gusta volver, me gustas tú
me gusta marihuana, me gustas tú
me gusta colombiana, me gustas tú
me gusta la montaña, me gustas tú
me gusta la noche, me gustas tú

que voy a hacer - je ne sais pas
que voy a hacer - je ne sais plus
que voy a hacer - je suis perdu
que horas son, mi corazón

me gusta la cena, me gustas tú
me gusta la vecina, me gustas tú
me gusta su cocina, me gustas tú
me gusta camelar, me gustas tú
me gusta la guitarra, me gustas tú
me gusta el regaee, me gustas tú

que voy a hacer - je ne sais pas
que voy a hacer - je ne sais plus
que voy a hacer - je suis perdu
que horas son, mi corazón

me gusta la canela, me gustas tú
me gusta el fuego, me gustas tú
me gusta menear, me gustas tú
me gusta la coruña, me gustas tú
me gusta malasaña, me gustas tú
me gusta la castaña, me gustas tú
me gusta guatemala, me gustas tú

que voy a hacer - je ne sais pas
que voy a hacer - je ne sais plus
que voy a hacer - je suis perdu
que horas son, mi corazón

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Última Estação: Esperança!


Me sinto vivo, me sinto forte. Nenhum sangue será derramado, não mais. Olhos nos olhos é o que eu quero, sentir o seu cheiro me faz bem. Estou tão próximo que posso até enxergar, aquele mar calmo que está a me esperar.

Cada pétala de rosas que se desmancha em minhas mãos eu consigo sentir o prazer que é te tocar. A cada instante da fragrância que se desvanece no ar, capturo-a como quem não quer deixá-la escapar.

Fico de costas apenas para sentir a brisa, que de certa forma ela faz me acalmar, e de olhos fechados fico imaginando que até você, ela pode me levar. Ah, como seria bom se em uma fração de segundo eu pudesse voltar, segurar em suas mãos, apenas para te ver caminhar.

Não carrego lenços, mas meus documentos estão todos em mãos esperando o dia da minha condenação. De punhos cerrados eu estou sempre de prontidão, pois eu ainda acredito em sua redenção.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Feliz Natal

Mais um ano se passou, e mais uma vez eu queria deixar a minha mensagem para todos vocês:

2008 foi um ano intenso. Foi o ano do marketing (Ratão 30 anos e pau no cu do mundo), 120 anos da Brahma, o ano em que eu fiz 30, o ano de rever conceitos e principalmente o ano de investir em mim mesmo. Em qualquer mesa de bar eu falava que era o ano em que mais havia gastado dinheiro, é mentira! Foi o ano em que eu mais investi em mim. Fiz coisas que até meus pais duvidavam, corri atrás de alguns sonhos, para chegar aqui com lágrimas nos olhos e dizer: Eu Consegui!
1ª Mensagem: Sempre acredite na sua capacidade!

Algumas pedras no caminho recentemente a vida se encarregou de tirar do meu sapato, aquele calo que me incomodava, hoje já não me incomoda mais. Fico facilmente satisfeito quando vejo que o universo realmente conspira, quando aquilo que nem imaginamos que está acontecendo, no fundo está. Não quero vir aqui dizer aquela frase barata de que “devemos plantar o amor para colher o bem”. Eu venho de outro lugar, não tenho religião mas tenho o meu Deus, tenho a minha fé mas não freqüento um determinado lugar, Devoto de Nossa Senhora e Santa Luzia, mas faço minhas orações em casa. Se eu tivesse que dar algum conselho a alguém, não diria frases bonitas e sim apenas “seja você mesmo”.
2ª Mensagem: Não pense em ser uma boa ou uma má pessoa. Pense em ser você!

Por diversas vezes neste ano eu vivi com aquele nó na garganta, fiz muita cagada, cometi inúmeros erros e alguns deles irreparáveis, mas acertei também! A cada ano que passa e eu fico mais velho, hehe, percebo o quando eu sou chato, sistemático, perfeccionista, sem paciência, mal humorado, mas mesmo assim eu tenho amigos. Talvez pelo simples fato de eu ser uma pessoa fiel com os que circundam a minha volta. Acho que uma coisa compensa a outra.
3ª Mensagem: Nunca traia para não ser traído.

E quem disse que eu não posso falar de amor? Este ano foi difícil, perdi ou deixei se perder o meu grande amor. Este foi um dos conceitos que eu mais tive que rever dentro de mim. Infelizmente, com 30 anos cheguei a algumas conclusões, que se não fosse meu temperamento ou minha falta de maturidade, eu teria chegado a estas conclusões antes e não precisaria passar por isso. Mas não tem problema, nunca é tarde para aprender lições, ainda mais quando a vida não espera. E se assim aconteceu era porque eu deveria passar por isso. Espero ter aprendido a lição, e que eu resgate todo aquele brilho que se perdeu, que se foi... e que aquele sorriso no rosto da Pikinininha seja constante em meus dias, e que realmente tudo se encaixe no final, e que este final não demore, hehe.
4ª Mensagem: Respire e conte até 10. Ao invés de tomar alguma atitude, dê um abraço.

Estão ai 4 mensagens básicas para que 2009 seja foda! É o que o tal do Rato aqui lhe deseja.

Feliz Natal e um Feliz 2009.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

eu estou IMRESSIONADO!

Me chamem do que quiser, batam na minha cara se for necessário, mas eu estou decepcionado. Estou revoltado... Eu estou impressionado!

Agora virou moda espancar idoso, parece passa-tempo bater em quem não tem força pra reagir. Você é violento demais com quem está quieto, se irrita demais com quem te ensinou tudo e tem uma experiência de vida diferentemente de você. Ser idoso é sinônimo de ter conhecimento, de cultura, de vivência, e de vida propriamente dita.

Hoje eu quero ser polêmico, hoje eu quero ser direto e é uma pena que quem deve ler isto, por conta de um problema social, sequer chegará a ter contato com este tipo de informação. É uma pena, porque eu estou agressivo, e estou sem limites, que não consigo conter as minhas palavras.

São com vocês mendigos... São com vocês que eu estou falando. Posso pecar por generalizar, posso errar por nem todos iguais a vocês, assim pensar. Mas a classe toda pagará pelo mau comportamento de alguns. Eu poderia simplesmente aqui falar da filha que bateu na mãe, do neto que bateu na avó, mas não... Deles eu não vou falar.

Além de explorar uma idosa a cozinhar, quando houve uma recusa também houve o espancamento? A que ponto o mundo pretende chegar? Se não há respeito e compaixão com quem só nos tem a ensinar, e que com um simples gesto só queria agradar.

A vida não é ingrata não, seus filhos da puta! Chego a pensar que vocês estão onde mereciam estar e pau no cu de quem quiser me julgar. Sempre procurei a todos vocês ajudar, às vezes com simples gestos ou até com muita ajuda pra dar, mas com este comportamento? A classe toda vai pagar!

Uma senhora que só queria ajudar, em um primeiro momento até em sua cozinha, lhe convidou para almoçar. Disso tudo você fez uma rotina se criar, retornando à sua casa todos os dias dizendo “viemos para almoçar”.

Quanta pretensão seus carniças, covardes!

Deixo aqui o meu manifesto, em solidariedade àquela senhora, aquela idosa, que com seu choro também me fez chorar. Com suas lágrimas me fez pensar, que não devo ajudar quem não quer se ajudar. A “lei da causa e efeito” estava ai na sua cara e você não quis acreditar, achando que seria fácil, uma idosa maltratar.

O meu grito? Aos quatro cantos eu vou ecoar, e mais uma vez, por mau comportamento a classe toda vai pagar, porque uma próxima ajuda minha, pode ter certeza que vai demorar!

Rodrigo "raTo" Seixas - 01/12/2008