sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Jorge da Capadócia - Jorge Ben

Jorge sentou praça na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia
Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge

Para que meus inimigos tenham pés, não me alcancem
Para que meus inimigos tenham mãos, não me peguem, não me toquem
Para que meus inimigos tenham olhos e não me vejam
E nem mesmo um pensamento eles possam ter para me fazerem mal

Armas de fogo, meu corpo não alcançará
Facas, lanças se quebrem, sem o meu corpo tocar
Cordas, correntes se arrebentem, sem o meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge

Jorge é de Capadócia, viva Jorge!
Jorge é de Capadócia, salve Jorge!

Perseverança, ganhou do sórdido fingimento
E disso tudo nasceu o amor
Perseverança, ganhou do sórdido fingimento
E disso tudo nasceu o amor

Ogam toca pra Ogum
Ogam toca pra Ogum
Ogam, Ogam toca pra Ogum

Jorge da Capadócia

sábado, 24 de janeiro de 2009

Salar de Uyuni




O Salar de Uyuni, mais conhecido como "deserto de sal", está localizado na região de Oruro, Bolívia. É considerada a maior planicie salgada do mundo e fica a 3.650m de altitude. Um lugar mágico nos Andes.
Cerca de 40.000 anos atrás, era um lago pré-histórico que acabou secando, e se formou o famoso deserto de sal, com mais de 12.000 km2 de área, tornando-se maior que o lago Titicaca que divide fronteira entre Peru e Bolívia.
Sempre que pensamos em fazer uma viagem, com certeza o deserto de sal não está nos nossos planos. Para a minha surpresa, foi um dos lugares mais exuberantes que já conheci. Fui sem propósito algum justamente por nunca ter ouvido falar a respeito, e me deparo com uma natureza jamais vista pelos meus olhos.
Flamingos dividindo beleza com um vulcão em meio ao deserto, que de tão extenso não conseguimos olhar para seu fim. Tão grande que neste deserto, talvez por ironia mesmo, possue um hotel feito inteiro de sal, é mole!?
Cactus e rochas marinhas fazem parte da paisagem, mostrando-nos toda a beleza de uma natureza que jamais poderemos interpretar, o que nos resta é apenas admirar, respeitar e preservar. Pois a nossa cidade cinza, ou então, a nossa selva de pedra um dia também virará história, não tão bela como as que temos o privilégio de admirar hoje, já em extinção.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

self title... again


porque uma imagem vale mais que mil palavras!
"Lake Ontario" - Toronto, Canadá

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

.fazemos.parte.da.nação.que.não.se.cala.

Não quero estudar porque o que eu quero mesmo é brincar. Fazemos parte de um mundo que não somos inclusos, e sim intrusos. Nos forçamos ir à escola porque apenas a merenda queremos comer, mas na verdade é por um prato de comida que eu brigo pra ter.

E o ensino aqui que é uma bosta? Todo mundo se interessa apenas em sair mais cedo na copa. Ai o país fica em festa e o Brasil veste a sua camisa, mostrando a que veio, e que só está à passeio. Mas disso tudo eu tenho receio, mesmo com o mesmo orgulho de sempre, de ser brasileiro!

Eu fui mergulhar, e olha que não foram em águas rasas. Por mais que muitas vezes eu “dei de cara” estou com a pérola na mão, emergindo como um guerreiro de espada em punhos de aço, imperial... é desta forma que eu ajo.

Ai quem me dera se nos tempos de menino eu pudesse voltar, e com aquela mesma ingenuidade de em Papai Noel acreditar, ver esta porra toda mudar. Porque ainda penso que somos primatas, vivendo ainda num país colonizado e enfrentando os preconceitos alheios como se eu fosse um bastardo.

Começo de ano para o brasileiro é sempre foda, com tanta conta pra pagar e ainda assim falando de Big Brother toda hora. Mas quem eu posso culpar? Se a nossa cultura aqui é cara e só gringo e elite que pode pagar. Tento apenas entender que uma geração de semi-analfabetos é o que vamos ser.

O cérebro as vezes atrofia e perco toda aquela inspiração e graça de ser quem eu queria. Fico um tempo parado, pensando apenas no infinito e observando o quão pequeno sou, que não serei ouvido nem por um grito. É por isso que eu me calo, mudei, hoje vejo toda a sujeira indo para o ralo.

raTo!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

liberdade!

O grito estava contido no peito feito o “silêncio dos inocentes”. A ânsia para falar estava tomando conta, pois aos poucos foi dado conta da lucidez que estava embutida num frasco de formol, preservada e a espera para ganhar a liberdade.

Há tempos o grito de “Liberdade!” como aquele refrão de HardCore vem fazendo a sua função original, deixando-se pensar que quando é verdadeiro tudo acaba se prevalecendo. E foi magnífica aquela sensação de liberdade ao profanar todas aquelas palavras incubadas numa garganta que muito seca estava, sedenta por toda aquela página virar.

Envergonhado por mais uma vez ter dado um passo errado, penso no futuro esquecendo o passado, que agora já vive enterrado. Muitos conceitos foram criados, errados talvez, mas o porquê eu não sei e sinceramente não quero saber, pois agora disso tudo eu me libertei.

Aquela massa que estava pairando no ar foi-se junto com o ano velho que levou também momentos ruins, mas levaram ótimos também, momentos em que ficaram guardados na memória. Uma memória que é exercitada todos os dias, as vezes com Varela, Saramago, Nietzsche, mas nunca esquecendo o bom e velho Ernesto Guevara de La Serna e o eterno Bob Marley.

Ídolos, famosos, ou apenas mortais que eram sinceros? Faziam e fazem o que estão destinados a fazer. Com os punhos cerrados e o sangue pulsando, cumprem e cumpriram a sua missão independente de qual fosse, seguiram o coração!

[NASE:R+T]

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

agora sim... estamos em 2009


e assim começou meu ano... iluminado pelo sol, no ano do sol, e que chegou pra valer!

acho que pela primeira vez, em 30 anos, eu passei a virada longe da minha família. naquele momento a minha família estava resumida ao meu sobrinho, que fez as honras. porém, também estavam quase todos os meus amigos!


só posso dizer uma coisa: foi mágico! já experimentei muita coisa na vida, mas isto eu não tinha sentido ainda, foi como se a adrenalina batesse ao seu pico máximo, levando toda a dor e trazendo toda a sensibilidade, para mais um ano iniciarmos e novamente em todas as esperanças acreditarmos!


vi que não posso mudar o mundo se meu quarto ainda continua uma bagunça, pode soar como uma metáfora, mas eu prefiro que soe como sarcasmo. apesar de que em 2009 eu serei menos sarcástico, só um pouco menos para eu não perder a personalidade.


enfim... férias até o dia 27.