segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

pretérito IMPERFEITO

Não deu tempo de contar até três! Eu fugi sem deixar rastro e na nuvem causei mais um estrago. Confesso mas desconverso sobre o que é natural, pois ainda carrego nas costas o peso do fardo por ser tão mal. Foi difícil seguir uma linha reta, que na minha cabeça ela ficou torta e acabou me levando para outra direção.
Se eu errei, agora tenho que acertar algo que para mim é tão difícil, como se me pedissem para achar a raiz cúbica de “x”. Onde na verdade “x” é um elemento neutro que some com o tempo, assim como pensamentos e sentimentos que vão desaparecendo dia após dia.
A bomba finalmente explodiu e uma pena que foi na minha mão! Ta certo que eu acendi o pavio, mas que caralho, por que sempre eu? Tudo poderia ter sido mais simples se eu escolhesse uma vida no campo sentindo o cheiro do mato, ah como eu adoro este cheiro, mas não para sentir sempre.
Com cinto de silício eu aperto a minha perna tentando sentir a dor que causei, não consigo decifrar a sensação, se é de êxtase ou se é mesmo de dor. É só uma pena todo este rancor!

Um comentário:

ju mancin disse...

"se é de êxtase ou se é mesmo de dor"... achei q só eu sofria do mal de nunca saber exatamente oq sinto!

meu carnaval sempre é de marchinhas!!!