segunda-feira, 2 de março de 2009

Tristão & Isolda

by Rodrigo "raTo" Seixas

Cada palavra, cada tentativa...
A pronuncia concreta é como a curva da esquina
É no meio do mato que eu procuro o cachorro
Mas em meus pensamentos eu me inspiro no Zorro

Olho para o alto e vejo tanta nuvem
Tento apanhá-las mas me escapam das mãos
Então eu sigo o meu caminho
Olhando para os pedaços jogados no chão

Não derramarei mais nada, pois a fase de seca chegou
Então segure a estiagem, foi apenas o que te sobrou
Aqui ainda está inundado, mesmo com este tempo nublado
Acabei de pegar a nuvem, e com minhas duas mãos eu a rasgo

Do alto, eu posso observar tudo
Até aquela montanha que tenta se esconder no horizonte
Mas agora... eu não quero mais
Corra muito, e pegue-me se for capaz!

2 comentários:

Daniel disse...

É tão bom ter algo na nossa frente pra atingirmos. Às vezes nos cansamos, mas é da natureza do ser humano nunca desistir. No máximo ele dá uma parada, respira, pensa um pouco mais.

Tudo tem sua hora também, isso sempre conta. As coisas tem que estar maduras pra que seja 100%, pois do contrário, não vale a pena.

"Tem saber chegar! Tem que esperar sua vez" Gosto disso que o chorão cantava.

abs

Marília PSH disse...

pego a nuvem e rasgo?
mancada!

Não desista tem muitas nuvens pela frente e quem sabe os ursinhos carinhosos lá.

Em época de seca to andando com regador, quem sabe faz a diferença?