quinta-feira, 16 de abril de 2009

.do.lado.de.lá.

Naquele canto da sala ele se estreitava para observar, com tanta vontade, que conseguia localizar a única coisa que queria encontrar. Na caixa, sempre rolando algo para lhe animar, fazendo seguir o dia sem um distúrbio consumar.
De longe... poderia sentir aquela atmosfera se transformando, e todo aquele instinto lhe relembrando de quão puro era o ar naquela parte do ano, onde exatamente Marte e Vênus estariam olhando para Urano.
Ah como era gostoso se lembrar daquelas tardes no campo, em que de prosa, esperando que o Sol se pusesse por completo, sentindo o cheiro do mato, esperando para dar espaço à Lua que também vinha com sua doçura.
No canto esquerdo daquela paisagem podia-se observar uma fumaça bem lá no alto, de longe, meio fora de foco. Era uma paisagem nova que não estava acostumado a ver, no começo ficou com medo de olhar, mas depois passou a gostar.
Repousando sua cabeça em qualquer lugar, conseguindo de todos os seus problemas se libertar apenas com o poder do olhar. Ele ficava esperando o momento certo para de sua janela saltar, encontrando o arco-íris para que pudesse se lembrar de como pequenos momentos poderiam ser tão agradáveis de passar.
Quem sabe algum dia o foco da paisagem começa a se formar...

Um comentário:

Daniel disse...

Não entendi nada mas gostei da relação que vc fez aqui.
abs