segunda-feira, 29 de junho de 2009

.momentos.







momento: s. m. Pequeno espaço de tempo. Os filósofos encaram o momento como um instante ou um ponto no tempo. A idéia de momento, ou ponto no tempo, é importante na filosofia, mas não tem nenhuma utilidade científica prática.
1. Espaço pequeno (mas indeterminado) de tempo.
2. Curta duração.
3. Lance, ocasião.
4. Ocasião oportuna.
5. Mecân. Produto de um braço de alavanca pelo peso que se lhe aplica perpendicularmente.
6. Produto de uma força por uma distância qualquer.
7. Produto da massa pela quantidade de movimento.
8. Que faz momices.

Por um momento você se sente aflito em meio aos seus turbilhões, como uma gravata que te prende pelo nó, te puxa pela garganta, sufocando todo aquele ar que ainda te resta. Porém, existem momentos em que você se sente a melhor pessoa do mundo, simplesmente por provocar um sorriso em alguém. Por um momento você esquece de todos os seus problemas e se joga na onda, pelo simples fato de estar feliz e no seu melhor estado de espírito. Há momentos como estes ai, que te jogam pra cima numa adrenalina sem economia, e alguém lá do alto diz: tu és foda!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

.[com 30].

Com 30 você cresce, você envelhece, mas não é por estresse. Você sorri mais, você fala mais, mas não se entristece. A vida te cobra você ignora, mas cansa. Pois afinal não adianta, se parar você dança. Você se lembra da infância, num passado sem distância, que derruba uma lágrima na manga.

Como um cristo sem dor você se liberta de todo o seu rancor, se esquece da ganância de todos aqueles que queria manter distância. Você sobe mais um degrau e sempre com um “zap” na mão gritando “meio pau”, pede por espaço, mesmo quando pára para amarrar “os cadarço”.

Você aprende que cozinhar não é só para mulher, e que seu desempenho está sempre nota 10. Que quando era adolescente seu corte de cabelo não era tão diferente, mas que hoje em dia já não usa mais pente. Lembrança dos tempos de moleque? Tens de 1000! E com aquela barba sempre rala na cara, acredita no futuro do Brasil.

As vezes parece que o tempo passa, mas ainda me pego sentado na praça, sentindo o cheiro da mesma fumaça. Acredite! A música ainda te encanta! E feito louco seja no trânsito, em casa, na rua ou no trampo, você ainda canta. Não bebe mais como antes, é fato, é diferente, se apega à sua cerveja preferida e aprecia, não cansa.

Da paciência você perde mais um grau e seu sarcasmo aumenta, num ritmo constante e natural. Dá valor para coisas que antes não acharia normal, e seus comentários do dia-a-dia, já não são mais só sobre futebol. Cabelos brancos? Ainda não terás! A idade “ta na mente”, e correndo dos flanelinhas e dos crentes, anda sempre com um sorriso “nos dente”.

Não fica mais estressado pra sair de um farol vermelho, pois sabe que seu problema agora é o motoqueiro, este, que está sempre querendo mais, seja uma brecha para entrar, ou um espelho pra chutar. Triste situação, que só tende a piorar.

Nos conceitos pré-estabelecidos você não vai mais acreditar, nem com quem ouve a CBN você quer mais falar. Sua cultura lhe indica que superior a este mundo medonho, você sempre deve estar. Não acredita mais em que o capitalismo vai acabar, mas nas eleições com o seu voto, insiste em anular.

É um tempo de mudança, de fortalecimento e de agregar à base todo este conceito. É um tempo de alegria e de saudade demais, por todos aqueles que por algum motivo ficaram pra trás. É também um tempo, tal como os demais, em que você dorme e acorda em paz, olha sempre para trás e agradece por tudo o que é: obrigado meus pais!

domingo, 14 de junho de 2009

.a.primeira.vez...


... a gente nunca esquece!


Obs.: made by my own two hands! (o curso valeu a pena!)


Obs. 2: Minha Namorada_Nara Leão


Se você quer ser minha namorada

Ah, que linda namorada

Você poderia ser

Se quiser ser somente minha

Exatamente essa coisinha

Essa coisa toda minha

Que ninguém mais pode ser

Você tem que me fazer um juramento

De só ter um pensamento

Ser só minha até morrer

E também de não perder esse jeitinho

De falar devagarinho

Essas histórias de você

E de repente me fazer muito carinho

E chorar bem de mansinho

Sem ninguém saber por quê

Porém, se mais do que minha namorada

Você quer ser minha amada

Minha amada, mas amada pra valer

Aquela amada pelo amor predestinada

Sem a qual a vida é nada

Sem a qual se quer morrer

Você tem que vir comigo em meu caminho

E talvez o meu caminho seja triste pra você

Os seus olhos têm que ser só dos meus olhos

Os seus braços o meu ninho

No silêncio de depois

E você tem que ser a estrela derradeira

Minha amiga e companheira

No infinito de nós dois

quarta-feira, 10 de junho de 2009

.doze.do.seis.

À ti eu dedico todos estes versos escritos
Não com minha letra que se parece rabisco
Mas com o coração que sempre bate
Junto com o seu, desde o início

Poderia aqui, mil coisas escrever ou mostrar
E sei que todas elas iriam te agradar
Meu apreço por ti é muito maior
Do que a brasa que um dia apaga e vira pó

Aprendi com você que as estrelas morrem diariamente
Mas a lua é única e está sempre sorridente
Mesmo com as pedras que chutamos para os lados
As gracinhas continuam eternas e os gracejos... os gracejos não causam estragos.

Ainda bem que és uma mulher, não como outra
Que todos os dias me deixa com água na boca
És quem me aquieta na maior euforia
E é com quem eu compartilho toda esta alegria!

obs.: ficou meio tosco, eu sei, hehe.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

.o.meu.futuro.

A imagem é distorcida que é para confundir teu foco. Enquanto eles falam de sustentabilidade e aquecimento global, nós vivemos neste inferno, no meio deste caos.

Nosso tráfego cresceu mais que a nossa cidade, não passamos de formigas caminhando em direção aos nossos formigueiros. Sem perder o caminho ou mesmo a direção, sempre nos encontramos no meio desta confusão.

Não nos enganemos, rapaz! No futuro seremos iguais a China, entupiremos o nosso país com rebentos. E no meio de mais um feriado sangrento controlaremos nossa mortalidade para acalmar nossa cidade.

Este é o futuro de toda nação, ficar apenas com a memória de toda raça em extinção. Criaremos ONG’s, Entidades ou qualquer porra enquanto os californianos disserem Aloha. E neles quereremos nos inspirar, em mais um banho de sol sem a camada de ozônio para nos salvar.

Na horizontal não há mais espaço, aqui o crescimento rentável é verticalizado. O sol nascente pode ser observado por entre as frestas aglomeradas de prédios, que se parece com grades gigantes para nos prenderem do diamante.

Felizes eram os Incas que tinham como seus deuses o Sol e a Lua. E de qualquer lado ou posição poderiam observá-los com loucura, de beber “chicha” ou de fumar seu cachimbo, mas ainda sim poderiam ver o infinito.

Sábio Marx que avisava sobre a Revolução Industrial, mas penso que ele não imaginava que depois de um século seria este caos. Empresários e Empreiteiros chamam isto de progresso, mas todos eles se esqueceram da ordem, do futuro e dos princípios, isto sim eu confesso!

Meus netos não conhecerão a natureza e para eles isto será normal. Água pura só haverá engarrafada assim como nossas ruas asfaltadas, que um dia foram de terra, em um passado natural.

Histórias meu pai ainda me conta, histórias de raiz. Pescando peixes em rios ele era muito feliz. Hoje vivemos na poluição, fugindo de ladrão, andando pelo meio fio... e assim será: Pátria Amada, Brasil!