quinta-feira, 15 de outubro de 2009

.dez.dias.para.uma.nova.era.


Foto: Espaço Verde Chico Mendes - onde corro quase todos os dias.

Por um instante a cidade parou, pelo menos pra mim. Estava dentro do meu silêncio, apenas me concentrando naqueles pensamentos puros que só um alívio mental pode nos proporcionar. A cada gota de suor que escorria pelo meu corpo eu sentia a redenção de um longo dia terminando, me fortalecendo para o dia seguinte.

Tudo estava lá igual ao jeito que deixei da última vez. Aquelas árvores todas elas alinhadas espontaneamente, porém, nos fazem acreditar que foram alinhadas propositalmente. O vento estava devagar, deixando-me curtir a brisa noturna com pensamentos leves na mente, aos ouvidos, a velha “redemption song” vinha dar início àquilo que estava contido.

Em um dos bosques, um casal de adolescentes estava a se beijar freneticamente. De imediato me veio ao olfato o famoso “love spell” que seguramente sentiria na noite seguinte. Poderia ser o “vanilla” também, o fato é que teríamos uma comemoração importante para o meu Amor, seguido de um jantar muito especial.

Meu corpo já começava a queimar, avisando-me que meu objetivo começava a se concretizar. À medida que o tempo ia passando, minha força também ia se esgotando, mas com uma noite tão gostosa eu ainda me sentia forte. Às vezes aos ouvidos chegava um “bad religion” para me dar um gás, em outras, um “millencolin” e “no fun at all” para do meu passado se lembrar.

Já que a moda agora é brindar, então chegou a minha vez de falar: Com a minha respiração ofegante à minha nova vida eu quero brindar, à 2009 que para mim foi espetacular, mesmo com muita gente a me especular. À todos aqueles que ao meu lado quiseram estar, mesmo quando eu não tinha nem um sorriso para dar. Brindo também aos porcos imundos, pois sem eles eu não conquistaria meu lugar neste mundo.

Não quero apenas brindar para o final do ano chegar, brindo uma nova era, um novo ciclo, um novo caminho. Com 10 dias para o meu aniversário, é assim que eu me saio. Tenho a certeza da minha família ao meu lado, e com eles sei que não tropeço e caio. E se cair, terei mãos ali! Não para dedos me apontar, muito menos para me julgar, apenas para me levantar!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

UN TRIUNFO DEL TERCER MUNDO

Poderosas potencias económicas compitieron por ser sede de las Olimpiadas en el 2016, entre ellas las dos más industrializadas del planeta: Estados Unidos y Japón. Triunfó sin embargo Río de Janeiro, una ciudad de Brasil.

Que no se diga ahora que fue generosidad de las naciones ricas con Brasil, un país del Tercer Mundo.

El triunfo de esa ciudad brasileña es una prueba de la creciente influencia de los países que luchan por su desarrollo. Con seguridad, en los pueblos de América Latina, África y Asia, la elección de Río de Janeiro será recibida con agrado en medio de la crisis económica y la incertidumbre actual con el cambio climático.

Aunque deportes populares como la pelota sean eliminados de las competencias para dar cabida a entretenimientos de burgueses y ricos, los pueblos del Tercer Mundo comparten la alegría de los brasileños y apoyarán a Río de Janeiro como organizador de los Juegos Olímpicos del 2016.

Es un deber presentarse en Copenhague con la misma unidad, y luchar para evitar que el cambio climático y las guerras de conquista prevalezcan sobre la voluntad de paz, el desarrollo y la supervivencia de todos los pueblos del mundo.

Fidel Castro Ruz

Octubre 2 de 2009

2 y 55 p.m.