quinta-feira, 5 de novembro de 2009

.carlos.marighella.

Carlos Marighella é homenageado como herói na Câmara de São Paulo em 04/11/2009. Morto em 1969 pela ditadura brasileira, em meio a propagandas sobre desaparecidos políticos [ainda], Marighella recebeu uma homenagem de cidadão paulistano. Apesar da data da morte, o reconhecimento dela foi apenas em 1996. Ou seja, quantos ainda desaparecidos que estão na mesma situação?

Marighella era o líder da Ação Libertadora Nacional quando foi assassinado pelos porcos fardados em novembro de 1969. Hoje, anos depois, Marighella simboliza a rebelião contra a tirania. Por que hoje? É o que me pergunto! Arquivos já foram queimados num passado recente, numa intenção de querer esconder o que foi assistido por muitos aqui no nosso país, porém vivido por poucos.

A Ação Libertadora Nacional - ALN que executou, junto com o MR-8 [Movimento Revolucionário 8 de Outubro] o seqüestro do embaixador norte-americano Charles Elbrick, a ação de maior repercussão internacional da resistência armada à ditadura militar brasileira.
Da mesma maneira que o Holocausto ainda é negado por muitos, parece que querem negar a existência do nosso período ditatorial. Já ouvi relatos de pessoas que vivenciaram torturas durante este período, e que felizmente sobreviveram para contar história, para mostrar a verdade oculta dos tempos.

E que tempos... Em que o movimento estudantil era o maior movimento que existia, universitários considerados o futuro da nossa nação literalmente davam a vida e muito sangue por um país melhor. Totalmente o oposto do que vivemos há anos, visto que a última ação que “fizemos” foi tirar o Collor do poder, eu ainda era pequeno, mas havia uma ação montada por debaixo da cortina.

Hoje o movimento estudantil virou comércio, as ações de hoje são organizar festas e chacotear alunos. Vivemos em meio a um movimento sem propósito, brigas entre nós mesmos são criadas aos montes. Só queremos ver nosso time ser campeão no final do campeonato, rebolar ao som de um bom samba, cantar de olhos fechados aquele pagode nojento, mas nunca... Nunca nos interessamos por saber como nosso país está e pra onde ele caminha.

Lutar por um país melhor faz parte da história, viveremos de homenagens e condecorações de pessoas que pensaram em nós, sem mesmo estarmos em vida. Pessoas que sem medo de morrer planejavam e executavam ações para acabar com filhos da puta que comandam nossa Nação!

2 comentários:

Daniel disse...

Alguns dos mesmos jovens que lutaram ativamente contra a ditadura nos anos 60 são os mesmos do Governo Corrupto do Lula. O que aconteceu? Não sei! Dinheiro e Poder. Talvez!

Quanto a indenização e o reconhecimento que a família do Marighela recebeu em seu nome acho que não só ele mas todos os outros tem o mesmo direito. Mas fala sério, você acha mesmo que eles estão preocupados em reconhecer algo? Eu acho que não, é apenas média.

Nem considere o que aconteceu com o Collor (Impeachment) algo feito pelos jovens porque quem tirou o Collor do poder foi a Rede Globo e não os jovens, eles fizeram apenas o que a Rede Globo pediu que fizessem. E porque? Porque o Collor estava apoiando ou tendo o apoio do Brizola e a Rede Globo odiava o Brizola. Foi algo assim.

Quantos aos jovens de hoje. O que eles fazem? Que tipo de balada e música eles gostam? Como se vestem? Falam sobre política?

Responda a essas poucas perguntas e você verá que os jovens viraram um bando de lixo industrializado.

Raras exceções existem.

abs

Fê Volpi disse...

Estou um pouco atrasada para comentários... mas adoro quando acorda rebelde e decide escrever textos de caráter político.

Muito bom também o comentário do Daniel...

Agora eu me pergunto: se somos essa juventude acomodada, que aceita tudo o que é imposto e apenas reclama pelo canto, mas não bota a boca no trombone... como serão os nossos filhos? Será que eles só se envolverão com o tema política se o mesmo for inserido numa fita de "Nintendo DS"?

Sei que não gosta de Legião, mas a música Geração Coca-Cola é, para mim, o "nosso" mais puro retrato:

"Somos os filhos da revolução
Somos burgueses sem religião
Somos o futuro da nação
Geração Coca-Cola..."