segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

.canteiro.de.obras.

Introdução:

Nossa infra-estrutura está correlacionada, paralelamente, com a corrupção. Se observarmos grandes metrópoles ao redor do mundo, poderemos visualizar e por que não vislumbrar, uma realidade muito diferente da nossa. Acredito que temos que se apoiar em metrópoles maiores que a nossa, pois no contrário, seríamos os primeiros.

Por onde andamos, nos deparamos com uma obra inacabada. Isto é comum no nosso país, talvez o correto fosse dizer São Paulo, visto que boa parte do nosso país é carente de serviços e benfeitorias mais básicas, até. O fato é que nos tornamos um canteiro de obras, pelas trocas de partidos nos mandatos, trocas de Prefeitos e Governadores, que quando assumem, querem criar novos projetos mais rentáveis [$$$] e acabam abandonando uma obra já iniciada.

Questionamentos:

Aonde chegaremos com tudo isso? Alguém parou pra pensar que seremos uma cidade de ruínas moderna? Aceitamos calados que uma simples canalização de um córrego perdure por 10 anos até sua conclusão. Não questionamos os valores gastos da obra, as empresas fornecedoras da matéria prima, o prazo de conclusão e até se foi feito o que pedia a licitação.

Nos acostumamos, de uma forma tão exagerada, a não ter nada que ficamos com sorriso nos olhos por uma simples camada de asfalto colocada sobre o buraco no meio da rua. Saneamento básico, como o próprio nome sugere, falta ainda em muitos municípios da nossa cidade, mas em momento algum nos questionamos que tudo isso acontece em pleno século XXI.

Devaneios:

Não é difícil de imaginar uma cidade melhor. Mesmo sendo esta selva de pedras que nos acostumamos a viver, me pego em devaneios onde podemos contar com transporte público de qualidade, alargamento de avenidas que passam por cima de córregos canalizados. Que a indústria de multas deixe de existir, que passe a ser em prol do desenvolvimento humano e que realmente cumpra o objetivo de prevenir acidentes tanto de pedestre quanto de motoristas. Sempre nós que temos a consciência alheia, e por mais que me forço a acreditar que ainda temos chances de mudar, no fundo algo me diz que tudo só tende a piorar.

Nenhum comentário: