domingo, 4 de julho de 2010

.anestesia.

De repente a minha garganta seca, e meus ouvidos são apenas mais um sonido. E então olho para o meu braço e posso ver a adrenalina correndo por minhas veias. Será necessário só mais um estalo para que eu possa seguir em dormência profunda, tentando esquecer que o outro dia é segunda.

Meus pés saltam do chão, fico tentando tocar as suas mãos. Com um olhar, fico procurando-o em minha direção mas que parece ser em vão. Num sonho que parece não acabar, me encontro jogado ao chão no meio da multidão, e parece que não vou mais acordar, sem em suas mãos podê-las tocar.

Começo então a lembrar-me dos sonhos de criança, do dia-a-dia e de alguns segredos ainda por contar. Talvez, saudades, seria o nome mais adequado para um verbo que não conseguirá, sequer uma vez mais, se conjugar. Penso no futuro como se de repente não houvesse mais o amanhã, tento apenas conter a respiração que se convence em querer me ajudar.

Agora, procuro não mais me lembrar das discussões que tive com deus, e de todas as afirmações que lhe fiz. Procuro apenas me lembrar de todos os momentos em que me fez tão feliz. Lembrei de quando fomos ao parque ou então de quando compramos a primeira guitarra. Das viagens para a praia e dos nossos pequenos natais.

Por um segundo acredito não ser egoísmo querer que conhecesses meus filhos, Matheus e Helena. Do meu livro que estou escrevendo, que era segredo, mas agora já não faz mais sentido. De me ver casar, com esta moça tão bela, que segurará as minhas mãos até os dias finais em que eu viver.

Para quem escreveu a letra de “pensando em me matar”, sinto um desejo incrível de viver, mas ainda está contido. Sinto uma vontade tremenda de retomar os meus sonhos, mas ainda está contida. Penso como seria o máximo dar uma gargalhada alta, mas ainda está contido. Tudo tão quanto àquele sentimento que não quer mais crer.

A pulsação se torna devagar, perdendo o compasso do samba que agora não é mais de bamba. Os versos, estes que já foram tão intensos, deixarão agora apenas uma chama acesa, destas parecidas com velas de mesa, que sobre a ceia insiste em se apagar. Será difícil de acreditar.

Não encherei mais meus olhos de sangue, mas caminharei meus dias com um sabor marcante. Sempre com passos largos e pensamentos distantes, distraído da vida e sonhando distante.

4 comentários:

Marília PSH disse...

Lindo, perfeito, cheio de emoção...
bom ver que tem vontade de viver e realizar sonhos...
nada pode ser em vão...

:D boa semana
adoro vc

Drizinha disse...

Então, texto marcante...talvez o mais de todos, pelas declarações da alma, pelo vontade de prosseguir, ainda que contida.

Um dia por vez amigo, apenas mais um dia por vez.

Bjs

Fê Volpi disse...

"Saudades... é o amor que fica."

E este amor seguirá com a gente...
Porque nem o tempo o apagará.

O tempo nos ajudará a seguir em frente, aos poucos, voltaremos a sonhar.
O tempo nos dará força, nos dará frutos e, com eles, novas alegrias.
O tempo acalma, ameniza, conforta...

Mas a saudades, amor que fica, ficará para sempre!

Permita-se, toda vez que for necessário, sentir a presença, mesmo com a ausência... lembrar de todos os momentos vividos, lado a lado, com um carinho enorme no coração.

Estou com você... de mãos dadas nesta estrada.

E pode ter certeza, onde quer que Ele esteja, estará conosco! Com o Matheus, com a Helena, com o seu livro...

Daniel disse...

Reviva sempre que quiser suas lembranças, mesmo que isso te custe lágrimas aos olhos. Chorar faz bem, caso seja necessário. Não segure! Não deixe de ser o que precisa ser.

Preste bem atenção em seus sonhos. Pense neles ao acordar, tanto de manhã como no meio da madrugada, pois você poderá ter otimas surpresas, assim como eu já tive inúmeras vezes.

Tenha orgulho pelo tempo vivido, evite lamentar o que acredita que perdeu daqui pra frente ao lado dele, pois isso não existe, eles sempre estão com a gente. É apenas uma outra maneira de ser, de viver, de estar junto. Mas, pode ter certeza, a vida continua, meu amigo.

Acredite nisso, pois essa certeza nos tranquilizará nos mostrando que todos aqueles a quem amamos sempre estarão por perto. SEMPRE!!!

Ele apenas evoluiu mais cedo do que a gente. No seu tempo.

Tempo!!! Quanto saber há nesse tal de tempo. Resolução de todos os males.

Cuide-se!!!
Daniel Bedotti